Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Historial

Historial


Segundo Frei Agostinho Montalverne, Água Retorta pertencia à jurisdição de Faial da Terra, de Nossa Senhora da Graça tem vigário, cura e tesoureiro com cento e três fogos e trezentas e setenta e quatro pessoas, com uma ermida de Nossa Senhora da Penha de França. Esta ermida foi fundada por Pedro Barbosa da Silva, e tinha a mesma invocação que a actual, cuja construção só se iniciou em 1871.Água Retorta ambicionou ascender a freguesia por volta do século XVII, e supõe-se que, já nos finais deste século, as suas aspirações tenham sido satisfeitas.

Para além da ermida já mencionada, houve uma outra sob a invocação de Nossa Senhora das Mercês, situada no lugar da Fajã do Calhau, em terrenos pertencentes à Dona Ermelinda Pacheco Gago da Câmara destruída pelos temporais de 1875.

Quanto ao seu topónimo, segundo Gaspar Frutuoso este inspira-se numa ribeira “que se vai retorcendo em voltas” e, já no século XVI era terra de “muitas fazendas”. Assim, a sua descrição desta freguesia em “Saudades da Terra” é a seguinte: “Dela para trás vai virando a terra o Nordeste, tudo em rocha muito alta, onde não há mais que duas descidas abaixo ao calhau, onde se chama Água Retorta, porque se vai retorcendo em voltas”. Para fraseando Gaspar Frutuoso, o Doutor Urbano de Mendonça dias afirma que, o seu nome deriva “das muitas voltas que a ribeira dá ao descer pela rocha ao mar”.

Há um outro lugar importante na história da freguesia de Água Retorta, de seu nome Labaçal. Este situa-se nas proximidades da freguesia, sendo constituído por uma área de quinhentos alqueires de terra de mata, a uma altitude de cerca de quatrocentos metros. Segundo a Lei de três de Julho de 1839, publicada na folha oficial n.º 161 de 10 de Julho de 1839 por D. Maria Segunda Rainha de Portugal foi elevado este lugar a freguesia, dela fazem parte a Terra Chã, Lomba das Fagundas e Fajã do Calhau.

A partir de uma dada altura, houve um decréscimo bastante acentuado da população da freguesia de Água Retorta, consequência da emigração das suas gentes para a América, em busca melhores condições de vida. Segundo os censos de 1960, havia mil, duzentas e cinquenta e três pessoas. Entre 1960 e 1970 a freguesia teve uma diminuição de quatrocentos e trinta e nove pessoas, uma percentagem de 35% da população, a mais elevada registada em S. Miguel. Em 1981, havia seiscentos e dezasseis pessoas, perfazendo um total de cento e oitenta e três famílias, residentes em trezentos e setenta i oito edifícios residenciais.

Em 2001, segundo dados fornecidos pelos Censos relativos a este ano, a freguesia contava com 497 residentes, dos quais 306 são eleitores recenseados. Os residentes com idade inferior a quinze anos, correspondem a 33% da população e, a percentagem de adultos em idade activa é de 45%. Relativamente aos idosos, estes completam a população com uma percentagem de 22%, de salientar que desde os últimos censos a população tem-se mantido estabilizada com uma pequena tendência para aumentar. O Orago da freguesia de Água Retorta é Nossa Senhora da Penha de França, e a festa a ela dedicada realiza-se no penúltimo Domingo de Agosto.